quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Vestibular UFRJ

Critérios de correção, pontuação, estrutura das provas: Luiz Otávio Langlois, coordenador de vestibular da UFRJ, tira aqui muitas das possíveis dúvidas sobre a prova, que acontece em novembro. Ele abre a série de entrevistas que a Megazine publicará com os responsáveis pelos principais vestibulares do Estado do Rio nos próximos meses, a partir de perguntas enviadas por leitores ao site do GLOBO.
Quais são os critérios para a correção da prova? (Maria Eduarda Gandão)
LUIZ OTÁVIO LANGLOIS:A banca do vestibular e os professores responsáveis pela correção discutem todas as possibilidades de resposta para estabelecer a pontuação intermediária de cada questão, o que é feito para todas as provas.
Qual o critério de correção da redação? (Regina Fagundes)
LANGLOIS: Existe uma grade de correção com pontuação muito objetiva, na qual são valorizados os aspectos importantes numa redação: coerência, coesão do texto, uso da norma culta da língua e -- o mais importante - o tema. A fuga do assunto rende ao candidato nota zero.
O que se pode esperar da prova de língua portuguesa e literatura deste ano? (Eduardo Valladares)
LANGLOIS: A estrutura da prova é elaborada a partir de um tema, presente em toda a avaliação. A redação também segue o mesmo assunto. No exame de português, especificamente, procuramos valorizar mais as questões de interpretação do que as gramaticais.
Como será a prova de filosofia? (Diego dos Santos)
LANGLOIS:Terá o mesmo modelo do ano passado.
Tem problema deixar a prova a lápis? (Larissa dos Santos)
LANGLOIS:Não é um problema, mas a recomendação é: resolva a caneta, escreva com clareza e não rasure. Um dos problemas de deixar as respostas a lápis é que a cópia da prova não fica nítida, o que pode prejudicar o processo de revisão.
Como saber quanto vale cada questão? (Carolline Carvalho)
LANGLOIS:As provas têm a pontuação equilibrada. Todas terão um conjunto de questões mais difíceis, um de nível médio e um mais simples. Todas são igualmente valorizadas. Uma prova não-específica, por exemplo, tem cinco perguntas, e cada uma vale dois pontos. O mesmo acontece no exame específico, com dez questões, e cada uma vale um ponto.
O candidato que zerar uma prova não-específica é eliminado? (Rodrigo Nocchi)
LANGLOIS:O vestibulando só será eliminado se errar as 20 questões das provas não-específicas ou se zerar alguma prova específica, português ou redação.
Como é feita a classificação para a primeira, a segunda e a terceira escolha do curso indicado? (Marcos Vidal)
LANGLOIS:O primeiro critério é a opção do candidato e o segundo é a nota final. O vestibulando que escolher farmácia como primeira opção de curso, por exemplo, será classificado pela nota final. Sobrando vagas, serão classificados os que optaram pela graduação como segunda preferência.
Vocês vão divulgar a relação candidato/vaga de cada curso de engenharia? (Larissa Candida dos Santos)
LANGLOIS:Ainda não temos data, mas é provável que isso seja divulgado esta semana.
O senhor concorda que a inclusão de física médica prejudicou os vestibulandos de Física (bacharelado)? A relação candidato/vaga quase triplicou. (Maria Regina Vital)
LANGLOIS:Isso é uma decisão essencialmente do Instituto de Física, que acha essa a melhor maneira de selecionar seus alunos. Eu tenho sérias dúvidas se é melhor ou pior.
Os itálicos são meus.
Boa sorte Pessoal!!!
Beijos

3 comentários:

Chali disse...

Lwegal a entrevista, bom saber que não tem problema zerar..auhuahuha´.
Mas eu não vou zerar nada não se Deus quiser, nem possso , né?!

Chali disse...

Depois que eu voltar da aula vou ler os outros posts. Dei uma olhada e achei bem legal ter colocado a revisão de arcadismo e barroco.


Bjos

Luciana disse...

Chali,
que bom que o post serviu para tirar algumas dúvidas.
Tô na torcida, viu?
Beijos